Endereço:

Av. Ademar de Barros, s/n°

Campus Universitário de Ondina
Salvador, BA | prohpor.ufba@gmail.com

 

© 2014 por Grupo PROHPOR. Orgulhosamente criado em comemoração aos 24 anos do Grupo.

  • b-facebook

SEMÂNTICA HISTÓRICA - GESCOG

O grupo GESCOG possui três linhas de pesquisa:

Semântica Cognitiva:

Nesta linha, desenvolvem-se estudos que procuram examinar a conceptualização e a categorização humanas através da metáfora, da metonímia, da mesclagem conceptual, além de procurar entender como a polissemia, a sinonímia, a antonímia e a hiponímia atrelam-se a mecanismos de conceptualização das experiências humanas e ainda como se organizam essas experiências em categorias, de modo a pensar a semântica para além do estritamente linguístico, e, por isso, focar também a estruturação conceptual. Os estudos produzidos nessa primeira linha são essencialmente interdisciplinares, porque visam a entender o significado como um fenômeno complexo que só se pode compreender se for inserido em um contexto mais amplo, em uma rede que interconecte diferentes saberes humanos.

 

 

Interface Morfologia e Semântica Cognitivas

Nesta linha, busca-se analisar os fenômenos atinentes à polissemia/homonímia, à sinonímia e à antonímia, no âmbito das construções morfológicas, de forma a discutir as relações entre os subsistemas pragmático, semântico, sintático, léxico e fônico com o morfológico.

 

 

Historiografia da Semântica Cognitiva no Brasil

Esta linha pretende responder às seguintes questões:

1) quais foram e quais são os espaços universitários brasileiros que produziram e/ou produzem saberes acerca da semântica cognitiva?

2) Quem foram e quem são os sujeitos que geraram e/ou geram esses saberes?

2.1) Qual a formação desses sujeitos?

3) Quais textos circularam e circulam no Brasil? Quais os produzidos por brasileiros? E por escreventes de outras variedades do português? Quais os traduzidos?

3.1) Quais os gêneros textuais foram e são mais produtivos?

3.1.1) Quais teses foram realizadas?

3.1.2) Quais estão sendo desenvolvidas?

3.2) Quais foram e são os suportes dessas publicações?

4) Quais aspectos teórico-metodológicos da linguística cognitiva orientaram e orientam a pesquisa semântica no Brasil?

4.1) Qual a contribuição dos teóricos brasileiros para a semântica cognitiva? O que se produziu nesses termos? 5) Quais os eventos realizados no Brasil enfocando-a?

 

 

No que diz respeito ao método, o grupo segue, em suas duas primeiras linhas, o princípio dos estudos semânticos cognitivos de basear-se no uso, em dados autênticos, valendo-se de uma metodologia qualitativa/quantitativa, portanto de um tratamento misto dos dados, sendo a abordagem quantitativa complementar à qualitativa. A sua prioridade não é a quantificação, mas a interpretação dos dados, assim sendo não se pretende uma visão meramente estatística dos objetos. Relativamente a sua terceira linha, os procedimentos metodológicos seguidos são os da própria historiografia.